02/07/2010

Poesias de Gustavo Adolfo Becquer poeta Espanhol


 Gustavo Adolfo Bécquer

      - Gustavo Adolfo Domínguez Bastida -
       (España, 1836-1870)
 Amigos, acabei de  conhecer atraves de meu sobrinho Diego o poeta espanhol: Gustavo Adolfo Becquer (http://es.wikipedia.org/wiki/Gustavo_Adolfo_Bécquer), e fiquei encantado com seu trabalho, me identifiquei muito. Abaixo duas poesias em espanhol e portugues, espero que gostem tanto quanto eu gostei. bjs

Foram extraidas do link: http://www.los-poetas.com/a/beq1.htm#RIMA VII, onde ha muitas outras.


RIMA VII Espanhol

Del salón en el ángulo oscuro, 
de su dueña tal vez olvidada, 
silenciosa y cubierta de polvo 
veíase el arpa. 

¡Cuánta nota dormía en sus cuerdas 
como el pájaro duerme en las ramas, 
esperando la mano de nieve 
que sabe arrancarlas! 

¡Ay! pensé; ¡cuántas veces el genio 
así duerme en el fondo del alma, 
y una voz, como Lázaro, espera 
que le diga: «¡Levántate y anda!».


Rima VII Portugues


Do salão no ângulo escuro,
de seu dono talvez esquecida,
silenciosa e coberta de pó
vía-se a arpa.


Quanta nota dormía em suas cordas
como o pássaro dorme nas ramas,
esperando a mão de neve,
que sabe arrancá-las!


Ah! Pensei; quantas vezes o genio
assim dorme no fundo da alma,
e uma voz, como Lázaro, espera
que lhe diga: ''Levánta-te e anda!''.


Rima IV Espanhol

No digáis que, agotado su tesoro, 
de asuntos falta, enmudeció la lira; 
podrá no haber poetas; pero siempre 
habrá poesía. 

Mientras las ondas de la luz al beso 
palpiten encendidas, 
mientras el sol las desgarradas nubes 
de fuego y oro vista, 
mientras el aire en su regazo lleve 
perfumes y armonías, 
mientras haya en el mundo primavera, 
¡habrá poesía! 

Mientras la ciencia a descubrir no alcance 
las fuentes de la vida, 
y en el mar o en el cielo haya un abismo 
que al cálculo resista, 
mientras la humanidad siempre avanzando 
no sepa a dó camina, 
mientras haya un misterio para el hombre, 
¡habrá poesía! 

Mientras se sienta que se ríe el alma, 
sin que los labios rían; 
mientras se llore, sin que el llanto acuda 
a nublar la pupila; 
mientras el corazón y la cabeza 
batallando prosigan, 
mientras haya esperanzas y recuerdos, 
¡habrá poesía! 

Mientras haya unos ojos que reflejen 
los ojos que los miran, 
mientras responda el labio suspirando 
al labio que suspira, 
mientras sentirse puedan en un beso 
dos almas confundidas, 
mientras exista una mujer hermosa, 
¡habrá poesía!


Rima IV Portugues

Não digais que esgotado seu tesouro,
de assuntos falta, emudeceu a lira;
poderá não haver poetas; mas sempre
haverá poesia.

Enquanto as ondas da luz ao beijo
palpitem acesas,
enquanto o sol as desgarradas nuvens
de fogo e ouro vista,
enquanto o ar em seu regaço leve
perfumes e harmonias,
enquanto haja no mundo primavera,
haverá poesia!

Enquanto a ciência a descobrir não alcance
as fontes da vida,
e no mar ou no céu haja um abismo
que ao cálculo resista,
enquanto a humanidade sempre avançando
não saiba para onde caminha,
enquanto haja um mistério para o homem,
haverá poesia!

Enquanto se sinta que se ri a alma,
sem que os lábios se riam,
enquanto se chore, sem que o pranto acuda
a nublar a pupila;
enquanto o coração e a cabeça
baralhando prossigam,
enquanto haja esperanças e memórias,
haverá poesia!

Enquanto haja olhos que reflitam
outros olhos que os mirem,
enquanto responda o lábio suspirando
ao lábio que suspira,
enquanto sentir-se possam em um beijo
duas almas confundidas,
enquanto exista uma mulher formosa,
haverá poesia!

9 comentários:

  1. Não gostei, adoreiiii!
    Muito linda as poesias.
    Obrigado por compartilhar conosco.
    Bjs
    Mila Lopes

    ResponderExcluir
  2. "Quer ver um milagre?

    Plante uma palavra de amor profundo
    na vida de uma pessoa.
    Cultive-a com um sorriso e uma oração,
    e veja o que acontece."

    (Max Lucado)

    Beijos e uma rosa prá ti. M@ria

    ResponderExcluir
  3. Preciosos poemas del siempre recordado Gustavo A. Becquer. Un poeta de exquisita sensibilidad que murió muy joven. Gracias por compartirlo. Un abrazo.

    ResponderExcluir
  4. RIMA XII

    Porque son, niña, tus ojos
    verdes como el mar, te quejas;
    verdes los tienen las náyades,
    verdes los tuvo Minerva,
    y verdes son las pupilas
    de las huríes del Profeta.

    El verde es gala y ornato
    del bosque en la primavera;
    entre sus siete colores
    brillante el Iris lo ostenta,
    las esmeraldas son verdes;
    verde el color del que espera,
    y las ondas del océano
    y el laurel de los poetas.

    Es tu mejilla temprana
    rosa de escarcha cubierta,
    en que el carmín de los pétalos
    se ve al través de las perlas.

    Y sin embargo,
    sé que te quejas
    porque tus ojos
    crees que la afean,
    pues no lo creas.

    Que parecen sus pupilas
    húmedas, verdes e inquietas,
    tempranas hojas de almendro
    que al soplo del aire tiemblan.

    Es tu boca de rubíes
    purpúrea granada abierta
    que en el estío convida
    a apagar la sed con ella,

    Y sin embargo,
    sé que te quejas
    porque tus ojos
    crees que la afean,
    pues no lo creas.

    Que parecen, si enojada
    tus pupilas centellean,
    las olas del mar que rompen
    en las cantábricas peñas.

    Es tu frente que corona,
    crespo el oro en ancha trenza,
    nevada cumbre en que el día
    su postrera luz refleja.

    Y sin embargo,
    sé que te quejas
    porque tus ojos
    crees que la afean:
    pues no lo creas.

    Que entre las rubias pestañas,
    junto a las sienes semejan
    broches de esmeralda y oro
    que un blanco armiño sujetan.

    Porque son, niña, tus ojos
    verdes como el mar te quejas;
    quizás, si negros o azules
    se tornasen, lo sintieras.

    La hermosa poesía de Gustavo Adolfo Bécquer.
    Gracias por compartir con nosotros.

    Besos,
    Anne.

    ResponderExcluir
  5. Quanto mais eu leio, quanto mais me apresentam autores eu percebo como ainda sou pobre! Como ainda tenho muito o que conquistar e ler e aprender e aproveitar. Ainda bem !
    Triste seria se eu não tivesse mais o que aprender.

    Linda poesia. Maravilhosa.

    beijo

    ResponderExcluir
  6. Os maiores pensadores são as pessoas que passam seu maior tempo presos à duvidas e à tristezas, porém são as pessoas mas felizes que já vi.

    Bruno Plagiato

    Uma semana de paz e muita poesia.
    Beijos...........M@ria

    ResponderExcluir
  7. "Que o sussurrar do vento te leve um beijo carinhoso e eterno e me deixe em seus pensamentos para que a distância não apague em ti minha existência."

    (Autor desconhecido)

    Obs:Tem selinho aqui prá voce, pegue o seu......Beijos!!

    ResponderExcluir
  8. Valter, quando as lágrimas secam e a paz nos percorre e as nuvens se escondem do sol, se as mãos não tremem e o peito não traduz as batidas ansiosas do coração, se as lembranças e as saudades não nos afligem, se nada move esta pedra do simplesmente ser...
    então meu amigo, não há poesia.
    Grande abraço
    Sergio Rebouças

    ResponderExcluir

Olá Visitante, Amigo & Parceiro

Obrigado por sua visita, se puder deixe seu comentário será muito importante para que eu saiba qual a sua opinião sobre o meu trabalho.

Deixe aqui também suas sugestões e criticas quando quiser

PS.:EU ACEITO CORREÇÕES ORTOGRÁFICAS E AGRADEÇO

Valter Montani

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Clique aqui e leia:

Clique aqui e leia:
Florbela Espanca

Dicas & Afins:

fale@comigo

Minha foto

Sou um Poeta que outrora oculto, graças ao incentivo de amigos vem publicando seus escritos através dos Blogues: "Valter Poeta" e "poeta Cards", os quais tenho a honra de convidar-lhe a conhecer.

http://valterpoeta.blogspot.com/
http://poetacards.blogspot.com/
http://clickdopoeta.blogspot.com/
http://bloglivrovalterpoeta.blogspot.com/

Valter Montani, Casado, Economista, Auditor de Meio Ambiente pela   Fundação Vanzolini,   Especializado em    Qualidade pelo PECE-Escola Politécnica da USP.
ATENÇÃO: 
 ALGUMAS IMAGENS UTILIZADAS NOS MEUS BLOGUES SÃO ORIUNDAS DA NET, SEM OS DEVIDOS CRÉDITOS. 
QUALQUER PROBLEMA FAVOR ENTRAR EM CONTATO. MEUS BLOGUES NÃO VISAM NENHUM TIPO DE LUCRO FINANCEIRO, FORAM CRIADOS APENAS PARA DIVULGAR MINHAS POESIAS, PENSAMENTOS E FOTOGRAFIAS.

SAUDAÇÕES!

Valter Montani

Mais informações:

Este Blog foi criado para divulgar minhas poesias e fotografias e fazer novas amizades. Claro que cultivando sempre as amizades que venho criando no decorrer dos anos. Sou um Poeta que foi "de gaveta" se tornando conhecido graças a Internet e aos amigos que me incentivam e divulgam sempre. A Poesia inicialmente serviu para que eu quebrasse o muro que me separava das demais pessoas, barreira que eu mesmo criei pela postura rebelde e radical. Cada escrito é como se fosse um filho, portanto cuide bem deles e não esqueça sempre de mencionar o nome do pai. Valter Montani Algumas imagens que eu estou utilizando foram encontradas na Internet sem os devidos créditos, qualquer dúvida ou reclamação de autoria peço a gentileza de entrar em contato comigo através do e-mail. Valter Montani "In perpetuum Omnia sunt bominum tenui pendentia filo Peractis peragendis, ermitte divis cetera Post nubilas Phoebus Omnia vincit amor et nos cedamus amori Per omnia saecula saeculorum." da amiga Karla Julia

Sociedade Amigos do Poeta

Sociedade Amigos do Poeta
GRATIDÃO! A galera que me incentivou e então, começou tudo: Chris, Tata, Cristiano, Andre, Eduardo, Christian, Rossi e eu(agachado), clique: Professora Regina Azevedo-MBA de Gestão das Tecnologias da Qualidade - Escola Politécnica da USP

SAL - Serviço de Atendimento ao Leitor

Nome

E-mail *

Mensagem *