27/11/2009

Poetisa da semana: Glória Salles



“Um dia de cada vez...” - Soneto
São bocados de lembranças atadas ao tempo
Que parecem não ter forma, ambiente, se quer cor.
Ensurdeço nesta ânsia de atrasar o tal momento
Desejo uterino de ouvir o pulsar, sentir o calor.
Nossos opostos acumulados eram emoção e razão
Feitas da mesma matéria éramos causa e efeito.
Hoje meu olhar vaga, nada assimila com exatidão.
É meu coração pulsando, agora fora do peito.
E fica uma sensação de busca interminável
Parece esquina errada, assunto mal acabado.
Hoje, metade de mim domina a dor implacável.
E a outra metade abraça um ser fragmentado.
Munida de força e fé, acredito com altivez.
Sustentando esta saudade, um dia de cada vez.
Glória Salles
05 outubro 2009
18h15min

************************************************************************

“Vento peregrino” - Soneto
O gemido da noite nas frias madrugadas
Acordam a tormenta que a alma abriga
Sentimento alado, emoções sem vagas
Laçam-me o coração, pondo - me perdida
Então decidi vagar por tudo o que sei
Flutuo em transe, deixando-me seduzir
Em perfumados risos meu silencio calei
No cheiro de manhãs com gosto de porvir
O canto etéreo do vento parece entender
O apelo suplicante, profundo do coração
Que no manancial de cores quer se perder
Caçando tantos sons peregrinos nos vãos
Acordo com a voz quente que causa arrepio...
Adormeço na boca que adoça e me põe no cio.
Glória Salles
21 maio 2009
21h00min
*******************************************************

" É tua a decisão...” - Soneto
Se não pretende fazer-me de tuas ânsias refém
Não esbanje comigo teus melhores instantes...
Se não tenciona beber o néctar da minha boca
Não tatue meu corpo, com caricias delirantes.
Se não quer abandonar-se nas noites de lascívia.
Nem perder-se na atmosfera do cadenciado desejo,
Então, este olhar extasiado lance em outra direção.
E disfarce o latejar vibrante contado pelo teu beijo
Se planeja romper o sentir que trava as artérias
E guardar teu coração da magia do meu sorriso
Não cace então, teu cais nos vincos do meu corpo.
Ou vai se perder, garanto, na vastidão do paraíso.
E se teu medo apaga de nossa paixão as labaredas...
Vá... E deixa no ventre sereno, repousar as borboletas...
Glória Salles
04 outubro 2009
20h21min
Nome: Glória Salles
Natural: Flórida Paulista

Quem sou: Escrever é como respirar, é necessidade... Através do que escrevo, vou pintando inúmeros quadros. Muitos sobre o que vivo ou vivi de forma literal, ou com uma porção de ficção, de fantasia. Falo do que observo na vida, como um todo... Meus dizeres vêm do coração, me atendo à inspiraçãopara deixar fluir o que muitas vezes não consigo verbalizar. São devaneios, inseridos em cada tema, verso, rima, métrica. Quem sabe sucintos instantes de plenitude.

Sites onde publico:
http://omarmencantacompletamente.blogspot.com/
http://www.luso-poemas.net/modules/yogurt/index.php?uid=3492 http://sitedepoesias.com.br/poetas/SallesGl%C3%B3ria
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=886


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTS MAIS COMENTADOS